Em um ateliê de roupas. Luana em uma cadeira de rodas, segura uma camisa verde. Ao  lado, pendurada em uma arara,  uma camisa azul estampada com a frase:

Luana Cavalcanti, de 21 anos, tem uma marca de design que produz roupas adaptadas a partir de peças já existentes e também camisetas com estampas com frases sobre a inclusão:

“Além das peças adaptadas, eu faço também camisetas que não são adaptadas. São camisetas comuns que eu utilizo com frases inclusivas, mas bem humorada para esse tema, que às vezes tratam com uma seriedade um pouco pesada, de uma forma mais irreverente”.

Nossa repórter Fernanda Honorato entrevista a modelo Paula Ferrari, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Paula fala sobre como são as fotos que ela faz:

“A gente faz fotos mais voltadas para poses, para posições diferentes na cadeira, mais focada na beleza. Então, nas fotos a gente acaba trabalhando bastante a figura da cadeira. Algumas vezes a gente sai da cadeira e deixa a cadeira como um plano de fundo”.

Daiane Lopes é modelo, tem paralisia cerebral, usa cadeira de rodas e também anda de muletas. Nossa equipe acompanhou um ensaio fotográfico dela, feito pela fotógrafa Daniela Gama, e Daiane deu um recado para pessoas que tem deficiência, assim como ela:

Luana Cavalcanti, de 21 anos, tem uma marca de design que produz roupas adaptadas a partir de peças já existentes e também camisetas com estampas com frases sobre a inclusão:

“Além das peças adaptadas, eu faço também camisetas que não são adaptadas. São camisetas comuns que eu utilizo com frases inclusivas, mas bem humorada para esse tema, que às vezes tratam com uma seriedade um pouco pesada, de uma forma mais irreverente”.

Nossa repórter Fernanda Honorato entrevista a modelo Paula Ferrari, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Paula fala sobre como são as fotos que ela faz:

“A gente faz fotos mais voltadas para poses, para posições diferentes na cadeira, mais focada na beleza. Então, nas fotos a gente acaba trabalhando bastante a figura da cadeira. Algumas vezes a gente sai da cadeira e deixa a cadeira como um plano de fundo”.

Daiane Lopes é modelo, tem paralisia cerebral, usa cadeira de rodas e também anda de muletas. Nossa equipe acompanhou um ensaio fotográfico dela, feito pela fotógrafa Daniela Gama, e Daiane deu um recado para pessoas que tem deficiência, assim como ela:

“Eu diria para outras pessoas com deficiência que têm desejo de se tornarem modelos, que acreditem, que corram atrás, porque tudo é possível, mas primeiro você não tem que ter preconceito com você. Você tem que se aceitar, se achar do jeito que você é”.

0
0
0
s2sdefault