Nossa equipe visitou uma oficina que inovou ao colocar as próprias pessoas com deficiência auditiva para fazer e tocar os instrumentos musicais. Aemilius, que é professor de desenho industrial e ensina os alunos a fazer os instrumentos, falou sobre os objetivos e os resultados da oficina:

“O que nós descobrimos com a arte e a tecnologia, ao fazer a oficina com eles, é que conseguimos superar muitos limites, expandir bastante os limites. Queremos quebrar paradigmas, eliminar os estereótipos de dizer que não conseguem fazer isto. Conseguem, sim.”

A engenheira química Marcela Cozzo criou um modo inusitado de pintura. Através de tintas especiais, com diferentes cheiros, pessoas com deficiência visual podem aprender a pintar e distinguir as cores. Junto com o artista plástico Rogelio Osorio, ela criou uma oficina de pintura voltada para esse público no Uruguai. Marcela explicou a ideia do projeto:

“A ideia foi permitir que usassem sentidos que eles desenvolvem até mais do que nós, em vez de depender da visão. Então, a partir do olfato, eles podem escolher as cores de modo independente. Cada cor primária e algumas outras têm um perfume fácil de reconhecer.”

0
0
0
s2sdefault