Além de ter ensino integral, a Escola William Soler prepara os profissionais e orienta as famílias de alunos com deficiência. Daisy Almenares Moreno, diretora da escola, fala sobre os objetivos do ensino:

“O centro atende a uma população de zero a 21 anos. É uma escola que tem um caráter transitório, como todas as escolas de educação especial aqui em Cuba. Isto é, as crianças passam um tempo e desenvolvem uma série de recursos, de ferramentas internas, para que possam, de alguma forma, estar em melhores condições em outros contextos mais regulares. Mas o centro também tem como uma das funções preparar os profissionais, para que possam atender estas crianças uma vez que elas se incluam nesses outros contextos”.

Já Luisa María Estenoz, coordenadora da escola, fala sobre o cotidiano dos alunos:

“Há também atividades da vida diária. Nós lutamos para que eles tenham uma vida bastante independente, não só para melhorar a qualidade da vida deles como pessoas, mas também para apoiar a família, para que eles possam se desenvolver bem em sociedade”.

Marcos mora em Havana, tem autismo e está sendo incluído em uma escola regular. Mercedes Fernández, mãe dele, conversou com a gente sobre a inclusão e o desenvolvimento do filho:

“Ele está recebendo educação especial na Escola Dora Alonso três dias por semana, de segunda a quarta, e dois dias, quinta e sexta, na escola regular Vicente Ponce Carrasco. O trabalho da Escola Dora Alonso tem sido muito bom e tem ajudado a incluí-lo na escola regular, já que a escola o prepara na área de logopedia, música e aprendizado. A comunicação entre os professores da Dora Alonso, a escola regular e a família é basicamente através de uma caderneta de comunicação que é criada desde o início do curso. Ele tem uma caderneta para fazer as tarefas de casa e uma caderneta de comunicação, onde nós escrevemos tudo. Qualquer dúvida é esclarecida por esse meio. E, de tempos em tempos, a escola Dora Alonso promove diversos encontros para orientar as professoras e as logopedistas que se encontram na escola regular.

A ideia é ir diminuindo a quantidade de dias que ele recebe educação na Dora Alonso e ir aumentando a quantidade de dias por semana na escola regular Vicente Ponce. A relação de Marcos com os amigos na escola regular é muito boa. No início, ele brincava pouco com as crianças, mas já está brincando mais. Notamos a interação que ele tem com as crianças. Todas sabem o nome dele e ele foi aprendendo os nomes das outras crianças, o que é muito bom. E é muito positivo para o desenvolvimento social”.

0
0
0
s2sdefault