Em Berlim, nossa equipe conversou com a artista plástica Silja Korn, que tem deficiência visual. Ela pintou um quadro inspirado na visita que o Programa Especial fez à casa dela. Após ficar cega, Siljia adquiriu um conhecimento sobre perfumes que a ajudou a interagir novamente com as pessoas.

“Fiquei cega depois de um acidente de carro e aí a vida se tornou muito difícil para mim. Eu não sabia como conhecer pessoas. E quando eu tinha uns 13, 14 ou 15 anos, eu tive a ideia de usar perfumes para entrar em contato com pessoas.  Eu sabia todos os perfumes de cor e, quando sentia um, eu puxava assunto com as pessoas que estavam usando aquele perfume. Quando eu andava de metrô e sentava ao lado das pessoas, eu perguntava para elas se era aquele perfume que estavam usando. Eu falava sobre isso como alguém fala sobre moda. E, através disso, eu conseguia entrar em contato com meninas da minha idade.”

Depois de conhecer a casa dela, visitamos também um restaurante que exibe obras de arte e expõe quadros de Siljia. Em seguida, aproveitamos para acompanhar um passeio de patins dela com o marido.

Em Nova York, vamos conhecer a cineasta Jade, que tem deficiência auditiva. Ela criou a produtora “Deaf Vision Films”. Ela falou sobre inclusão através do cinema:

“Eu realmente acredito em uma integração entre pessoas surdas e ouvintes. Eu não sou alguém que vá fazer um filme somente para a plateia surda. Eu acredito fortemente que temos que fazer ambos. Eu também acredito que devemos construir pontes. Precisamos educar sobre a cultura dos surdos”.

0
0
0
s2sdefault