Uma das grandes paixões de Davi é o surf. Ele contou para gente como começou a praticar o esporte e sobre a escolinha onde aprendeu a surfar:

“Primeiro começou com uma brincadeira, porque eu estava brincando com uma morey na praia, eu e minha mãe. Aí parou um surfista chamado Souto e ele chegou com uma prancha e falou para mim: "Você quer dar uma volta?" e eu: "Poxa, é o meu maior sonho." Aí, ele me deu essa prancha verde aqui. Minha primeira escolinha foi Adapsurf, que é um projeto muito bom para surf adaptado, é super legal lá. Eles também me deram uma prancha. Depois eu vim para a para o Jeronimo Telles.”

Evelyne Telles, professora de surf, falou sobre a evolução do Davi no esporte:

“Geralmente, eu entro com ele sozinha, e aí eu o ensino a boiar, jogar a barriguinha para cima, quer dizer, ele ser totalmente independente. Eu só o boto mesmo na onda, o resto é com ele. Fui vendo que ele tinha um "feeling" para o surf e comecei a botá-lo para "dropar" a onda. E, de cara, ele já começou a fazer isso.”

Luiz Renato, pai do Davi, falou sobre a relação com o filho:

“O Davizinho é uma criança muito espontânea, muito levado. Mas é um filho exemplar, sim. O certo da vida são os pais ensinarem aos filhos, mas acho que no caso do Davi esse papel se inverteu, ele vem ensinando muita coisa para gente. Ele vem mostrando, a cada dia, que a gente pode muita coisa, basta a gente querer.

Davi surfou com profissionais que admira. O surfista Alemão contou como conheceu o Davi e da importância do esporte para ele:

“Conheci o Davizinho no projeto Adaptsurf através do Taiu Bueno, que é surfista e ficou tetraplégico em um acidente de surf. Quando ele me apresentou o Davizinho, nossa, fiquei impressionado pela disposição do moleque, e ver o Davizinho ali surfando, achei muito legal. E o vendo muito feliz, muito empolgado, sempre motivado para pegar onda, para buscar superar desafios é um prazer muito grande. Amizade é isso, nasce em um momento inesperado, e, muitas vezes, da maneira que nasce, dura a vida inteira. Estou muito feliz de poder fazer parte desse grupo de amigos que são os amigos do Davizinho.”

Bernardo Montenegro, realizador do projeto Praia Para Todos, falou sobre a amizade com Davi:

“Eu tive a enorme felicidade de conhecer o nosso amigo Davizinho. E foi brincando, falando assim, amor a primeira vista. Porque todo mundo que conhece ese garoto aí fica apaixonado por ele. Eu tenho um amor por esse moleque enorme, pela alegria dele de viver, pela força de vontade, pela determinação, por tudo. É um moleque que irradia felicidade, irradia como é bom viver, ele passa isso, viver é muito bom, faz valer a pena!”

0
0
0
s2sdefault