PROGRAMA ESPECIAL

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho normal da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
  • layout default 
  • layout default daltonismo 
  • layout default contraste
Home Blog Artes Pl√°sticas

Artes Pl√°sticas

Envie este artigo para um amigo Imprimir PDF

No Programa Especial desta semana, vamos conhecer o trabalho de duas artistas plásticas mineiras, Eni e Kátia. No quadro Do Meu Jeito, a cabeleireira Marcele, que mora em fortaleza e é cega, vai mostrar para a gente o jeito dela de cortar cabelo. E ainda, mais uma edição do quadro Paralímpicos.


 

 

Nossa equipe conheceu Eni de Carvalho, que é arte-educadora. Pensando nas pessoas com deficiência visual ela, começou a fazer pinturas táteis. Eni abriu um ateliê, onde guarda mais de 600 obras e recebe visitas agendadas e gratuitas.

‚ÄúEu desenvolvo um projeto social volunt√°rio nas artes pl√°sticas, dedicado aos cegos e a todo o espectador das artes. O nome √© Tocar e Sentir. Esse projeto nasceu quando eu cheguei em casa, abri o jornal e li: "Cegos v√£o a museu e n√£o tem acesso a obra de arte". Eu falei: "eu posso pintar para o cego". Desse momento em diante eu parti para a pesquisa, convivendo com eles. Fui para a escola aqui em Belo Horizonte, no Instituto S√£o Rafael, l√° eu fiz oficina e tive apoio da professora de arte, que √© tamb√©m cega, a Sueli Lopes. Nisso n√≥s fizemos v√°rias experi√™ncias e viv√™ncias. Por exemplo, os cegos queriam pintar. A√≠, eu comecei a trabalhar a cor, eu tinha que trabalhar primeiro a quest√£o da cor e ir explicando. Utilizei os outros sentidos para poder lev√°-los a cor. Eu levei v√°rias frutas, uma diversidade de frutas, ent√£o, no momento que ele chupava a uva, eu falava a cor da uva por fora. E fui tamb√©m empregando diversos materiais, eu trabalho muito com material reciclado para criar as texturas. Eu trabalho com, por exemplo, tecido, a√≠ eu fui fazendo flores e inserindo nas telas, fui diversificando os materiais para criar texturas diferentes. Quando o cego chega para conhecer o meu trabalho, eu o acompanho e vou deixando que a coisa flua naturalmente, ou ele l√™ em Braille primeiro o texto, ou depois toca na tela, ou toca na tela primeiro e depois ele l√™, fica bem em aberto. E com isso, n√£o existe nenhuma inte√ß√£o que ele adivinhe nada, a inte√ß√£o √© que ele se sinta inclu√≠do.‚ÄĚ

Katia Santana é artista plástica, mora em Belo Horizonte e tem paralisia cerebral e pinta há mais de 15 anos. Izabel Nadine, mãe da Kátia, contou como ela começou a desenvolver a pintura.

‚ÄúA K√°tia come√ßou a pintar aos 14, na √©poca ela pintava em cartolina e a√≠ ficou. At√© que um dia descobrimos que ela tinha talento. A√≠, procuramos uma pessoa, que √© professora dela at√© hoje, e, com isso, ela participa de v√°rios programas de inclus√£o. Primeiro ela participou do Arte Superando Barreiras e o segundo foi Arte Sem Fronteira. Quando a K√°tia est√° pintando, se entrega totalmente, ela cria um outro mundo. E √© interessante v√™-la pintando, porque, assim, ela se transforma. Porque √© uma entrega cem por cento e √© fant√°stico v√™-la pintando. A pintura trouxe para ela a independ√™ncia e tamb√©m alegria de viver. Ela fala que a pintura d√° para asas, ent√£o s√£o as asas da imagina√ß√£o. Quando K√°tia termina uma pintura, eu olho para ela e enxergo um novo mundo, um mundo de pureza, de sensibilidade, de alegria.‚ÄĚ

Joomla Templates and Joomla Extensions by ZooTemplate.Com
 

Adicionar coment√°rio



Programa Especial

O Programa Especial é totalmente dedicado à inclusão das pessoas com deficiência. Todo sábado às 10h30min você pode acompanhar reportagens positivas, otimistas, descontraídas e acessíveis a todos. Para isso, o Programa conta com janela de LIBRAS, legenda e audiodescrição. Seja muito bem-vindo!