PROGRAMA ESPECIAL

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho normal da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
  • layout default 
  • layout default daltonismo 
  • layout default contraste
Home Blog Vida Universit√°ria

Vida Universit√°ria

Envie este artigo para um amigo Imprimir PDF

O Programa Especial desta semana é sobre vida universitária e vai mostrar a rotina de alguns alunos e professores com deficiência. Vamos conversar com Vanderlei Ribeiro, professor de História da UNIRIO e com Andréa Faria, estudante da UFF. Uma reportagem sobre o Sensibiliza UFF, um departamento que auxilia pessoas com deficiência na universidade. E, ainda, no quadro Paralímpicos, uma entrevista com Luis Carlos Cardoso, atleta de paracanoagem.

 Em uma sala de aula, Vanderlei em p√© sorri. A sua frente alunos. Atr√°s dele quadro branco com anota√ß√Ķes de aula.

Nossa equipe foi até a Universidade Federal Fluminense, a UFF, conhecer Andréa Faria, estudante de Pedagogia. Ela tem nanismo e falou sobre como quebrou o preconceito com a educação especial:

‚ÄúNo in√≠cio do curso, eu ainda estava em d√ļvida com o que ia me especializar na √°rea da educa√ß√£o. Eu n√£o me interessei pela educa√ß√£o especial at√© mesmo por essas pessoas fazerem essa associa√ß√£o da minha imagem, pessoa com defici√™ncia, com educa√ß√£o especial, como se fosse a √ļnica coisa com a qual eu pudesse trabalhar. Essa minha pr√≥pria resist√™ncia se rompeu quando eu passei a fazer a disciplina de Educa√ß√£o Especial que tirou a trava dos meus olhos. Eu comecei a me interessar, porque eu via tamb√©m na aula a articula√ß√£o teoria e pr√°tica. Hoje tenho desenvolvido pesquisas com rela√ß√£o a esse acesso na universidade, n√£o s√≥ aqui na UFF, mas em outros espa√ßos, fico atr√°s de reportagens que falem sobre isso e publico na internet, quando tem alguma coisa que fere essas leis, quando tem algo criminoso, eu divulgo na internet, fico bastante revoltada. E fiz tamb√©m o que eu acho mais interessante para minha participa√ß√£o na Universidade, pelo menos na minha faculdade, na minha turma, eu fiz com que outras pessoas tamb√©m tivessem essa consci√™ncia.‚ÄĚ

Vanderlei Ribeiro é professor de História da UNIRIO e tem deficiência visual. Nossa equipe conversou com ele para saber sobre seu trabalho e a relação com os alunos:

‚ÄúA minha op√ß√£o por ser professor de Hist√≥ria, eu trago desde os dias do Benjamin Constant, ainda, ali, eu j√° dizia que se eu cursasse faculdade, eu cursaria Hist√≥ria. Fiz a gradua√ß√£o na UFRJ, o mestrado na UFRJ, o doutorado na UFF. Quanto √† quest√£o da mobilidade, eu uso sempre a bengala. Mas os campus universit√°rios, eles s√£o, para n√≥s, muito complicados, porque voc√™ n√£o tem uma identifica√ß√£o, voc√™ n√£o tem placas em Braille ou coisas do g√™nero. Uma pessoa que enxerga vai poder usar o quadro, eu n√£o vou poder usar o quadro. Hoje j√° tem o computador que √© mais f√°cil. Eu fa√ßo os slides e vou colocando t√≥picos. Eu acho que eu consegui ser mais conhecido pelo fato de ser um professor "linha dura" do que propriamente por ser um professor cego. Porque a minha peocupa√ß√£o n√£o √© que as pessoas pensem em mim como professor cego. Eu quero que pensem que √© o professor Vanderlei de Hist√≥ria da Am√©rica, que √© um professor que cobra, que passa uma ca√ßambola de texto em espanhol, que cobra presen√ßa, que cobra que as pessoas estejam atentas. Quem est√° aqui n√£o √© um professor cego, quem est√° aqui √© um professor que, por acaso, √© cego.‚ÄĚ

A Divisão de Acessibilidade e Inclusão, projeto conhecido como Sensibiliza UFF, é um departamento dentro da Universidade Federal Fluminense responsável por oferecer apoio às pessoas com deficiência que estudam e trabalham na universidade:

‚ÄúO Sensibiliza UFF √© um espa√ßo dentro da universidade que est√° aqui para atender √†s demandas dos alunos que t√™m algum tipo de defici√™ncia. Nem todos os alunos que entram na universidade necessariamente v√£o precisar de algum apoio, mas, se eles precisarem,¬† a gente est√° aqui para poder dar esse tipo de assist√™ncia. Por exemplo, um aluno que entra e tem baixa vis√£o, √†s vezes, o professor n√£o est√° preparado para receber o aluno, ent√£o ele entra em contato e a gente procura o coordenador do curso, procura o professor e tenta orient√°-lo para que ele teha uma qualidade de ensino boa. Uma das grandes dificuldades em geral, n√£o s√≥ dentro da universidade, mas no Brasil todo, s√£o as barreiras arquitet√īnicas. A gente procura o setor dentro da universidade que √© respons√°vel pela parte arquitet√īnica, e¬† mostra o que est√° dando dificuldade para esse aluno, para que, de alguma forma, eles consigam resolver esse problema.‚ÄĚ

No quadro Dica, Sandro Colaço de Lima, que é atleta e é cadeirante, fala sobre os serviços da  Associação dos Deficientes Físicos do Paraná:

‚ÄúA Associa√ß√£o dos Deficientes F√≠sicos do Paran√° foi fundada em 1979. Desde ent√£o, a associa√ß√£o atua na √°rea prestando servi√ßos a pessoas com defici√™ncia, com foco, principalmente, na reabilita√ß√£o das pessoas rec√©m-acidentadas ou lesadas medulares. Os servi√ßos que a ADFP, hoje, oferece gratuitamente s√£o: fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicologia.¬† A gente faz encaminhamento¬† ao mercado de trabalho, fazemos capacita√ß√£o atrav√©s de conv√™nios com institui√ß√Ķes de ensino, onde as pessoas com defici√™ncia d√£o continuidade aos seus estudos. Temos departamento de esporte, onde ADFP possui mais de 70 atletas em diversas modalidades. O mais forte da associa√ß√£o √© a reabilita√ß√£o em si. Muitas vezes as pessoas rec√©m- acidentadas ou que t√™m algum tipo de defici√™ncia v√™m para a ADFP, recebem todo tratamento voltado √† sociabiliza√ß√£o e ao encaminhamento dela √† sociedade.‚ÄĚ

Joomla Templates and Joomla Extensions by ZooTemplate.Com
 

Adicionar coment√°rio



Programa Especial

O Programa Especial é totalmente dedicado à inclusão das pessoas com deficiência. Todo sábado às 10h30min você pode acompanhar reportagens positivas, otimistas, descontraídas e acessíveis a todos. Para isso, o Programa conta com janela de LIBRAS, legenda e audiodescrição. Seja muito bem-vindo!